Quase 80% das adolescentes estão vulneráveis na internet, aponta estudo

Levantamento realizado pela CPP Brasil revela que apenas um terço sabe como denunciar uma situação de perigo online. 
 
Levantamento realizado pela CPP Brasil (Parceria para a Proteção da Criança e do Adolescente) revela que quase 80% das adolescentes não se sentem seguras na internet, mesmo estando cientes dos perigos. E pior: apenas um terço sabe como denunciar uma situação de perigo online.

O estudo é parte da publicação internacional da ONG Plan "Fronteiras Digitais e Urbanas: Meninas em um ambiente em transformação" ("Digital and Urban Frontiers: Girls in a Changing Landscape").

O documento é um retrato de como as tecnologias de comunicação e informação (TICs) têm impactado a vida das jovens em todo o mundo, bem como os riscos a que elas se expõem nesse ambiente.

Os principais pontos da pesquisa no Brasil são:
  • 84% das meninas possuem um celular;
  • 60% disseram saber sobre os perigos online;
  • 82% já utilizaram a Internet e 27% disseram estar sempre online;
  • Quanto mais conhecimento e consciência elas têm sobre as TICs, maior o grau de segurança que sentem online;
  • 79% das meninas disseram que não se sentiam seguras na internet;
  • Quase metades das meninas que responderam à pesquisa afirmaram que seus pais sabem o que elas acessam;
  • Somente um terço sabe como relatar um perigo na web;
  • Quase 50% das meninas disseram que gostariam de encontrar pessoalmente alguém que tenham conhecido online.

Leia a matéria na integra em IDGNow
Share:

[Artigo] Perda de talentos, um risco a ser evitado

por Marcelo Gonçalves*

Em artigo, Marcelo Gonçalves fala sobre risco de má gestão de profissionais

São amplamente conhecidas as carências na oferta de profissionais adequadamente capacitados e preparados para suprir as necessidades do atual mercado de trabalho brasileiro. Por isso, a retenção de talentos tem se tornado uma necessidade entre as corporações nacionais.

Assim, sem adotar uma política definida neste sentido, o risco que as empresas correm de perder excelentes profissionais para o mercado aumenta consideravelmente. E o pior que pode acontecer é a migração desses talentos para a concorrência, o que pode comprometer a sustentabilidade das empresas, uma vez que acabam se tornando menos competitivas, e todos os investimentos em treinamento e capacitação são diretamente transferidos aos concorrentes.

Para manter talentos, é preciso, primeiramente, entender o que motiva os colaboradores a trabalhar. Quando entendemos isso, provavelmente vamos compreender que, além do salário e benefícios, a possibilidade de evolução profissional, a capacitação constante e a vivência em um ambiente profissional estimulante e salutar são fatores considerados essenciais para que estes profissionais se sintam motivados a seguir em uma empresa.

Desta forma, para ser compreendida como tal, a valorização está relacionada à confiança e à cumplicidade formada entre o colaborador e a gestão da empresa, aos investimentos em capacitação e ao reconhecimento financeiro adequado. Ou seja: não existem artifícios, mas, sim, políticas de retenção e de valorização desses colaboradores.

Diante de uma eventual oferta feita por outra empresa para atrair um dos talentos profissionais de nossa corporação, temos que entender que nem sempre uma proposta considerava irrecusável está apenas relacionada com a remuneração. Muitos profissionais pedem demissão pela falta de perspectiva de crescimento profissional, por exemplo. Quando um colaborador não consegue perceber sua importância dentro da organização, os investimentos efetuados em sua capacitação e desenvolvimento, além da perspectiva de atingir novas atribuições, e pode se sentir desestimulado e cair no que chamamos de “zona de conforto”, ou seja, não existe mais motivação para o seu desenvolvimento pessoal e novos desafios que o estimulem.

Não existe fórmula para mudar essa tendência, mas é preciso, acima de tudo, ouvir a opinião dos colaboradores. A partir das necessidades identificadas, deve-se preparar um plano de ação para mitigar o risco de evasão do talento. Outro fato importante é a estruturação da área de treinamento e capacitação do pessoal. Dessa forma, pode-se melhorar a eficiência da empresa e é possível reduzir os riscos de que propostas de outras empresas sejam consideradas irrecusáveis.

Além do pacote de benefícios, é preciso trabalhar muito bem com o comportamento dos colaboradores, adotando-se uma postura ética, transparente e respeitosa. Temos que lembrar que contratamos muitos profissionais pelo seu currículo, e os demitimos pelo seu comportamento. Mas devemos também nos atentar ao fato de que muitos colaboradores são atraídos por uma marca, uma estrutura, e pedem demissão por eventual falta de respeito ou em razão de um ambiente de trabalho que não é exatamente o que eles esperavam, o que normalmente é gerado pela falta de capacidade de liderança, respeito e ética aplicada às relações de trabalho.

É preciso perceber, também, que reter talentos não é uma atribuição somente da área de recursos humanos, mas, sim, uma necessidade que demanda mudança de políticas de gestão, não somente em relação a salários e benefícios, mas, inclusive, de implantação ou evolução de planos de carreira, capacidade de desenvolvimento e treinamento profissional.

Outro agente essencial nesse processo é o líder, que deve ser tido e respeitado como uma a referência. Ou seja, o liderado deve olhar para seu líder e pensar: “Este é o próximo passo que eu quero dar”. Caso isso não ocorra, o risco de se perder talentos aumenta muito. Dessa forma, o líder deverá ter admiração, respeito, confiança, companheirismo e acima de tudo, a capacidade de olhar e entender as necessidades da sua equipe e fazer com que esta equipe seja envolvida de forma positiva pelo trabalho e pela missão da empresa.

Para sabermos como agir diante da necessidade de retemos talentos, podemos pensar na resposta à seguinte pergunta: O que a empresa deveria ter para que uma proposta com salário e benefícios superiores não seja irrecusável? Provavelmente, o colaborador não pediria demissão somente pelo salário e benefícios se chegasse à conclusão de que trabalha em uma empresa onde: a política de planos de carreira é clara; há treinamentos e avaliações justas e constantes em um ambiente de trabalho excelente; a corporação é competitiva, inovadora e oferece potencial de crescimento e desenvolvimento profissional. Portanto, os desafios não são simples, mas a necessidade de se reter talentos não pode ser negligenciada pelas empresas modernas. 
 
*Marcelo Gonçalves é sócio-diretor da BDO, responsável pela área de training no Brasil
 

**As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicadas refletem unicamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da IT Mídia ou quaisquer outros envolvidos nesta publicação.

Fonte: http://www.itweb.com.br
Share:

Cursos grátis na área de informática

A Escola Virtual, da Fundação Bradesco em parceria com várias empresas de TI oferece mais de 150 cursos totalmente on-line e semi-presenciais, e funciona em ambiente totalmente interativo.

Os cursos devidamente concluídos conferem aos usuários o direito à Certificados de Conclusão emitido pela Escola Virtual.

Confira alguns títulos dos cursos On-line

- Administração Financeira (1)
Administração e Planejamento de Finanças Pessoais

- Banco de Dados (3)
Administrando e Armazenando Dados com SQL Server 2005
Modelagem de Dados
Projetando e Implementando Dados com SQL Server 2005

- Cursos de Aperfeiçoamento/Comportamentais (12)
A Internet e a World Wide Web
Comunicação Escrita
Currículo sem Segredo
De Acordo com o Novo Acordo
Dinâmicas e Testes na Seleção
Economia de Energia
Entrevista: Como encará-la!
Estilos de Vida Digitais
Noções Básicas sobre Computadores
Postura e Imagem Profissional
Programas de Produtividade
Segurança e Privacidade do Computador

- Desenvolvimento de Aplicativos (22)
Análise Estruturada de Sistemas
Aplicações Java Mobile
Aplicações Windows Mobile
C++ - Desenvolvimento Orientado a Objeto
Engenharia de Requisitos
Expression Blend
Fundamentos das Aplicações Móveis
HTML - Avançado
HTML - Básico
Ilustração & Design Gráfico para Web
Introdução ao JavaScript
Introdução ao VB.Net
Lógica de Programação
Processo de Desenvolvimento de Software
Programação em C#
Programação Orientada a Objeto
Revisões, Verificações e Inspeções
Silverlight
System Design Overview
Teste e Resolução de Problemas
UML - Linguagem de Modelagem Unificada
WebDesign

- Governança de TI (12)
CMM - Sistema de Modelagem para Desenvolvimento de Software
Estratégia de Negócios
Fundamentos de COBIT
Fundamentos de Governança de TI
Gestão de Estratégia - BSC
Gestão de Processos - BPM
Gestão de Projetos 01 - Como trabalhar com projetos?
Gestão de Projetos 02 - Como iniciar o trabalho com projetos?
Gestão de Projetos 03 - Como planejar o escopo, prazo e orçamento do projeto?
Gestão de Projetos 04 - Como Planejar os demais aspectos do projeto?
Gestão de Projetos 05 - Como Executar, Monitorar, Controlar e Encerrar Projetos?
Gestão Estratégica de TI - ITIL

- Informática (2)
Introdução ao e-Learning
TI na Educação

- Infraestrutura (1)
Fundamentos de Rede

- Office (16)
Introdução ao Pacote Office 2007
Microsoft Access 2003 - Avançado
Microsoft Access 2003 - Básico
Microsoft Access 2003 - Intermediário
Microsoft Excel 2003 - Avançado
Microsoft Excel 2003 - Básico
Microsoft Excel 2003 - Intermediário
Microsoft Excel 2007 - Básico
Microsoft Office Outlook 2007
Microsoft PowerPoint 2003 - Avançado
Microsoft PowerPoint 2003 - Básico
Microsoft PowerPoint 2007 - Básico
Microsoft Word 2003 - Avançado
Microsoft Word 2003 - Básico
Microsoft Word 2003 - Intermediário
Microsoft Word 2007 - Básico

- Segurança (1)
Segurança da Informação

- Sistemas Operacionais (2)
Microsoft Windows Server 2003
Microsoft Windows XP

Fonte: http://www.escolavirtual.org.br/welcome.asp
Share:

Kevin Mitnick: ex-hacker derruba mitos sobre segurança em cloud

Em passagem pelo Brasil, ele afirma que computação em nuvem é tão insegura quanto infraestruturas tradicionais.

Por Rodrigo Afonso, da Computerworld

Reconhecido no passado como o maior hacker do mundo, Kevin Mitnick buscou derrubar mitos sobre a segurança nos ambientes de cloud computing (computação em nuvem), durante apresentação, realizada no Brasil nesta quinta-feira (30/9). Mitnick, que chegou a ser preso e hoje atua no mercado de consultoria em segurança, afirmou que a nuvem não é mais ou menos confiável do que as infraestruturas de TI tradicionais.
O ex-hacker considerou que a nuvem causa medo pelo fato dos aspectos de segurança não serem mais controlados pelas empresas usuárias dos serviços em cloud computing. O que é um erro de visão, na opinião de Mitnick. Para ele, as organizações que contratam esse tipo de oferta deveriam se preocupar com todas as questões de segurança e de confiabilidade que seriam necessárias em um data center próprio.
“Não importa o modelo de tecnologia utilizado, o maior responsável pela segurança de uma empresa é a própria empresa”, analisou. “Estudos e avaliações profundas de risco são elementos que não podem ser terceirizados”, acrescentou.
Mesmo não vendo diferenças fundamentais na abordagem de segurança entre infraestruturas locais ou terceirizadas, Mitnick ressalta que a computação em nuvem mudou os desafios impostos às organizações.  “Hoje, as companhias precisam pensar estrategicamente, no sentido de procurar soluções híbridas que atendam a melhor relação entre custo e risco”, avaliou. Entre as preocupações, ele citou que o modelo exige analisar a contingência do tráfego de dados e a criação de túneis seguros para transmissão dos mesmos.
Sobre o modelo ideal de segurança, totalmente dentro de casa ou em formato de serviço, Mitnick relativiza novamente, destacando que tudo depende do quão crítica é a informação em risco, de regras regulatórias e do quão dispostas as organizações estão a assumir determinados riscos.

 Fonte: http://computerworld.uol.com.br

 

Share:

Aviso importante!

Não realizamos upload dos ficheiros, apenas reportamos os links que encontramos na própria Internet. Assim, toda e qualquer responsabilidade não caberá ao administrador deste blog. Este blog não tem como objetivo reproduzir as obras, apenas divulgar o que foi encontrado na Internet. Os filmes aqui informados são de cunho científico assim como as séries, as quais são produzidas para exibição em TV aberta. Uma vez que a série não tenha sido ripada de um DVD, ou seja, a mesma foi gravada do sinal de TV aberta com o respectivo selo da emissora. Não é caracterizado crime, pois a mesma foi produzida para exibição pública. Será crime quando for realizado venda desta série ou filme. Quem efetuar download de qualquer ficheiro deste blog, que não tenha seu conteúdo de base Open Source (Código Aberto), ou FOSS (Free Open Source Software), deverá estar ciente que terá 24 horas para eliminar os ficheiros que baixou. Após assistir e gostar do filme ou série, adquira o original via lojas especializadas. Se algo contido no blog lhe causa dano ou prejuízo, entre em contato que iremos retirar o ficheiro ou post o mais rápido possível. Se encontrou algum post que considere de sua autoria, favor enviar e-mail para suporte@delphini.com.br informando o post e comprovando sua veracidade. Muito obrigado a todos que fizeram deste blog um sucesso.

Creative CommonsEsta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Citando nome do autor, data, local e link de onde tirou o texto). Você não pode fazer uso comercial desta obra.Você não pode criar obras derivadas.

Google+ Followers

Nossos 10 Posts Mais Populares