Moodle para Professores

Rodolfo Nakamura.
Moodle Como criar um curso usando a plataforma de Ensino à Distância.
São Paulo - 1ª Edição - 2008
Farol do Forte Editora  www.faroldoforte.com.br - F: (11) 3013.2083.

Este livro pode ser distribuído via Internet, sob
licença Creative Commons.

(http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/2.5/br/)

Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas.

Referência ao autor conforme ficha catalográfica. O compartilhamento desta obra na Internet, por quaisquer meios ou recursos, deve manter o volume na íntegra, sem alterações ou edições de qualquer forma.

O arquivo original está disponível, na íntegra, para download gratuito no site da nossa livraria eletrônica Farol Digital (www.faroldigital.com.br/loja).

Praticidade e versatilidade este livro pode ser adquirido na loja virtual da editora: Farol Digital – www.faroldigital.com.br/loja.

Ao comprar o livro em formato impresso, você estará colaborando com a editora e remunerando os esforços do autor, de acordo com a Lei de Direitos Autorais vigentes no país. 

Incentive a produção cultural e receba a praticidade e versatilidade que só um livro impresso proporciona.

Caso você esteja com um livro presencial, físico, certifique-se de que este é um volume original, observando:

• Selo holográfico de segurança, com a inscrição “Original Farol do Forte Editora”
• Impressão metalizada com o logotipo da editora na última capa do livro (hot-stamping)

Minha Nota: Como este livro esta sob a licença  Creative Commons estou disponibilizando um link direto para que você possa ter esta obra de maneira digital. Estou disponibilizando este link pelo fato da Editora esta indo de contra a licença Creative Commons, pois a mesma obriga que você se cadastre ao site para ter acesso ao livro digital.

Com certeza este é um livro que você tem que ter em sua biblioteca particular e até mesmo na da instituição de ensino onde atue como professor.

Skype falha e deixa milhões de usuários sem serviço

Em sua página no Twitter, a companhia pediu desculpas pela paralisação e informou que estava investigando o motivo!!!!



O Skype deixou milhões de usuários sem acesso aos seus serviços de comunicação pela internet na última quarta-feira (22/12). O problema se dava na hora de as pessoas fazerem sua conexão com o sistema. Foi a segunda queda neste ano.

A companhia chegou a confirmar o incidente em um blog oficial - que ficou parte do dia fora do ar devido ao elevado número de acessos. Em sua página no Twitter, a companhia pediu desculpas pela paralisação e informou que estava investigando o motivo.

A companhia não revelou quantas pessoas foram atingidas. De acordo com a BBC, a empresa pode ter perdido metade de seu tráfego diário de chamadas, o que representa milhões de pessoas mundialmente sem acesso ao serviço.

O problema teria começado quando computadores denominadossupernodes, que atuam como direcionadores de telefonemas na rede do Skype, ficaram fora do ar. Para solucionar o incidente, os engenheiros criaram mega-supernodes para substituir os que apresentaram danos.

O Skype, criado em 2003, quer fazer oferta pública de ações (IPO, na sigla em inglês). Ainda não foi revelada a data que ocorreria a IPO. Enquanto não ocorre, o Skype vem trabalhando em soluções pagas, de olho, principalmente, no mercado corporativo. O serviço soma  perto de 600 milhões de usuários cadastrados, com a vasta maioria realizando ligações gratuitas.

Em 2005, o Skype foi adquirido pelo eBay, por U$ 3,1 bilhões de dólares. Em novembro último, o eBay vendeu participação majoritária a um grupo de investidores que inclui Silver Lake, Canada Pension Plan Investment Board e Andreessen Horowitz.

Fonte: http://www.itweb.com.br


Protocolo Brasília (ODF)

Após outras empresas e organizações como a Caixa Econômica Federal, Banco
do Brasil, e SERPRO, a Petrobras também assina o Protocolo Brasília, documento que propõe a intenção de aderir ao padrão ODF (Open Document Format).

O Protocolo Brasília não obriga o uso do padrão, ele apenas estabelece a intenção de utilização de um formato padronizado como forma de melhorar a interoperabilidade das organizações relacionadas ao governo.

Os principais aplicativos a suportar o padrão ODF são o OpenOffice.org, seu braço brasileiro BrOffice.org e o IBM Lotus Symphony. O primeiro passo da companhia é instalar um destes aplicativos como alternativa ao Microsoft Office e avaliar o desempenho e produtividade. Apesar de assinada a intenção de adotar o ODF, o feedback dos funcionários será levado em consideração na tomada de decisão de qual suíte permanecerá em uso.
 
É importante lembrar que o Open Document Format é, a rigor, o padrão de formato de documentos definido pela ABNT, em maio de 2008, quando esta publicou a norma brasileira NBR ISO/IEC 26300: Tecnologia da informação - Formato aberto de documento para aplicações de escritório (OpenDocument) v1.0.
 
Fonte: http://www.revistapcecia.com.br/

O QUE É TELEINFORMÁTICA ?

Teleinformática é a técnica que trata da comunicação de dados entre equipamentos de informática distantes um dos outros.
 Imagem fonte: http://suportt.com

Quais são os tipos e os modos de Transmissão?

  • Transmissão Assíncrona – já na transmissão assíncrona, o intervalo de tempo entre os caracteres não é fixo. Podemos exemplificar com um digitador operando um terminal, não havendo um fluxo homogêneo de caracteres a serem transmitidos. Como o fluxo de caracteres não é homogêneo, não haveria como distinguir a ausência de bits sendo transmitidos de um eventual fluxo de bits zero e o receptor nunca saberia quando virá o próximo caractere, e, portanto não teria como identificar o que seria o primeiro bit do caractere. Para resolver esses problemas de transmissão assíncrona, foi padronizado que na ausência de caracteres a serem transmitidos o transmissor mantém a linha sempre no estado 1 (isto é, transmite ininterruptamente bits 1, o que distingue também de linha interrompida). Quando for transmitir um caractere, para permitir que o receptor reconheça o início do caractere, o transmissor insere um bit de partida (start bit) antes de cada caractere. Convenciona-se que esse start bit será um bit zero, interrompendo assim a seqüência de bits 1 que caracteriza a linha livre (idle). Para maior segurança, ao final de cada caractere o transmissor insere um (ou dois, dependendo do padrão adotado) bits de parada (stop bits), convencionando-se serem bits 1 para distingui-los dos bits de partida. Os bits de informação são transmitidos em intervalos de tempo uniformes entre o start bit e o(s) stop bit(s). Portanto, transmissor e receptor somente estarão sincronizados durante o intervalo de tempo entre os bits de start e stop. A transmissão assíncrona também é conhecida como “start-stop”.
    A taxa de eficiência de uma transmissão de dados é medida como a relação de número de bits úteis dividido pelo total de bits transmitidos. No método assíncrono, a eficiência é menor que a no método síncrono, uma vez que há necessidade de inserir os bits de partida e parada, de forma que a cada caractere são inseridos de 2 a 3 bits que não contém informação.
  • Transmissão Síncrona – na transmissão síncrona, o intervalo de tempo entre dois caracteres subseqüentes é fixo. Nesse método, os dois dispositivos – transmissor e receptor – são sincronizados, pois existe uma relação direta entre tempo e os caracteres transferidos. Quando não há caracteres a serem transferidos, o transmissor continua enviando caracteres especiais de forma que o intervalo de tempo entre caracteres se mantém constante e o receptor mantém-se sincronizado. No início de uma transmissão síncrona, os relógios dos dispositivos transmissor e receptor são sincronizados através de um string de sincronização e então mantém-se sincronizados por longos períodos de tempo (dependendo da estabilidade dos relógios), podendo transmitir dezenas de milhares de bits antes de terem necessidade de re-sincronizar.;
 Modos:
  • Símplex – é dita simplex quando permite comunicação apenas em um único sentido, tendo em uma extremidade um dispositivo apenas transmissor (transmitter) e do outro um dispositivo apenas receptor (receiver). Não há possibilidade de o dispositivo receptor enviar dado ou mesmo sinalizar se os dados foram recebidos corretamente. Transmissões de rádio e televisão são exemplos de transmissão simplex;
  • Semi-duplex ou Half-duplex – é dita half-duplex (também chamada semi-duplex) quando existem em ambas as extremidades dispositivos que podem transmitir e receber dados, porém não simultaneamente. Durante uma transmissão half-duplex, em determinado instante um dispositivo A será transmissor e o outro B será receptor, em outro instante os papéis podem se inverter. Por exemplo, o dispositivo A poderia transmitir dados que B receberia; em seguida, o sentido da transmissão seria invertido e B transmitiria para A a informação se os dados foram corretamente recebidos ou se foram detectados erros de transmissão. A operação de troca de sentido de transmissão entre os dispositivos é chamada de turn-around e o tempo necessário para os dispositivos chavearem entre as funções de transmissor e receptor é chamado de turn-around time;
  • Duplex ou Full-duplex – é dita full-duplex (também chamada apenas duplex) quando dados podem ser transmitidos e recebidos simultaneamente em ambos os sentidos. Poderíamos entender uma linha full-duplex como funcionalmente equivalente a duas linhas simplex, uma em cada direção. Como as transmissões podem ser simultâneas em ambos os sentidos e não existe perda de tempo com turn-around, uma linha full-duplex pode transmitir mais informações por unidade de tempo (maior throughput) que uma linha half-duplex, considerando-se a mesma taxa de transmissão de dados;

O QUE É PROTOCOLO DE COMUNICAÇÃO ?

Protocolo de Comunicação é o conjunto de convenções e procedimentos que regulamentam a transmissão de dados entre diferentes equipamentos, completamente ou em alguns dos seus aspectos.
Exemplos:
  • IPV4 – permite que até 4.294.967.296 de endereços IP estejam em uso. O grande problema é que o número de sites e o número de usuários da internet crescem constantemente, no mundo todo. Como é impossível usar um mesmo IP simultaneamente na internet, é necessário que cada usuário, cada site ou cada serviço tenha um endereço IP exclusivo. Com o crescimento da necessidade de uso do IP, a internet chegará a um ponto onde não vai sobrar mais IPs. Todos estarão em uso.
  • IPv6 – é a sigla para Internet Protocol version 6. Também conhecido como Ipng (Internet Protocol Next Generation), trata-se da evolução do IPv4, a versão em uso atualmente. O IPv6 é fruto da necessidade de mudanças na internet. Como já é de se supor, as mudanças no sistema de endereçamento é uma das inovações mais importantes do IPv6. Como já dito, este passa a ser de 128 bits (contra os 32 bits do IPv4). Teoricamente, o número de endereços pode chegar a 340.282.366.920.938.463.463.374.607.431.768.211.456, um valor absurdamente alto.

O que é Rede de Transmissão de Dados?

Rede de Transmissão de Dados é o conjunto formado pelos equipamentos e os meios físicos que permitem a comunicação de informações entre diferentes usuários a qualquer distância que se encontrem.

Como se classificam as Redes de Transmissão de Dados?

            Essas redes podem ser classificadas basicamente de três formas diferentes como:
  • Redes de Uso Exclusivo – Exemplos: VPN é uma conexão onde o acesso e a troca de dados somente é permitido a usuários e/ou redes que façam parte de uma mesma comunidade de interesse.
Utilizando técnica chamada de tunelamento, pacotes são transmitidos na rede pública – como, por exemplo, a Internet – em um túnel privado que simula uma conexão ponto-a-ponto.
Esta tecnologia possibilita que o tráfego de várias fontes viaje via diferentes túneis sobre a mesma infra-estrutura. Permite que diferentes protocolos de rede se comuniquem através de uma infra-estrutura incompatível. Também possibilita diferenciamento do tráfego de várias fontes, permitindo distintas rotas de destino e qualidade de serviço.
  • Redes Públicas de Telecomunicação – Exemplo: a internet, no entanto, se utiliza comumente da Rede Pública de Telefonia existente para seu tráfego, sendo, no entanto, grande os avanços na criação e ampliação de uma rede específica para o tráfego de dados, que pode ser sem fio (wireless) via rádio ou por cabos e fibra óptica);
  • Redes Locais – Exemplo: As redes locais de computadores (LAN’s) permitem aos seus usuários compartilharem recursos tais como periféricos, informações e aplicações, de maneira simples e eficiente.
Estas redes estão divididas em dois grupos, segundo o tipo de componentes utilizados: componentes passivos, responsáveis pelo transporte dos dados através do meio físico (cabos, antenas, acessórios de cabeamento e tubulações) e componentes ativos, estes responsáveis pela comunicação adequada entre os diversos equipamentos de rede como as estações de trabalho, servidores, multiplexadores, etc. Dentro dessa categoria destacamos o switch, a bridge, o roteador, etc, pelo papel que eles desempenham dentro da rede local. Esse conjunto de elementos de rede – ativos e passivos – é que garante uma comunicação confiável, com o desempenho requerido pelas aplicações.

Fonte: http://dreweslobo.wordpress.com

Celulares em São Paulo terão a inclusão de mais um dígito

BRASÍLIA — A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) decidiu nesta quinta-feira (9) incluir um dígito aos números de telefones móveis em São Paulo, na região coberta pelo código de área (DDD) 11. Atualmente, os números dos celulares paulistas, assim como no resto do país, têm oito dígitos. Com o acréscimo do nono dígito, o Conselho Diretor da agência pretende resolver o problema de falta de números de telefone celulares disponíveis na região que, hoje, comporta 27 milhõesde combinações.
Os conselheiros optaram por incluir um dígito em vez de criar um novo código de área (10) para São Paulo, proposta que também estava sendo analisada pela agência reguladora.
O nono dígito será incluído no início do número do telefone. As empresas de telefonia terão 24 meses para se adaptar à decisão da Anatel. Até lá, a agência decidiu adotar medidas complementares para possibilitar a habilitação de novos celulares em São Paulo. As empresas poderão reduzir de 180 para 90 dias o tempo de quarentena para reutilização de um número que pertencia a outro cliente. Outra possibilidade será o compartilhamento do prefixo 5, que atualmente só é usado pela telefonia fixa.
 
Fonte: http://www.dci.com.br/noticia.asp?id_editoria=9&id_noticia=353804

EyeOS - Sistema Operacional online e HD virtual gratuito!

Estava passando pelo blog do yogodoshi (http://www.yogodoshi.com/blog/) um post sobre o site EyeOS, que tem uma proposta interessante. Ele é uma mistura de Sistema Operacional online com layout clean e atrativo, com um HD virtual e uma rede de troca de arquivos. Vejam abaixo uma screenshot da home do site (após o login).
EyeOS - Um Sistema Operacional + p2p online
Uma das coisas que chama a atenção é o fato de você precisar apenas de um nome de usuário e senha para se cadastrar no site. Após fazer o login você ganha acesso ao seu próprio desktop online, nele você têm acesso a certos utilitários como: bloco de notas, calendário e calculadora.
O site também disponibiliza um leitor de feeds RSS, um jogo online e uma agenda pessoal para você adicionar seus contatos. Mas o ponto forte do site é você ter o seu próprio HD virtual gratuitamente e ainda poder disponiblizar esse conteúdo para os outros usuários do EyeOS. Não encontrei informação sobre o quanto de espaço cada usuário tem mas não me parece ser pouco não pois você pode subir vídeos também.
Já consigo ver a hora em que os grupos de uploaders que usam sites como o Rapidshare ou Megaupload descobrirem o EyeOS e começaram a criar contas para cada filme, jogo ou software e depois simplesmente divulgar o login e senha, já que nem e-mail é necessário vincular à conta, o uploader não correrá perigo algum. Será uma nova alternativa para o Kazaa e E-mule também?
*edit*
Já foi criada uma nomenclatura para este tipo de sistema, se chama WebOS (Web Operating System) e aqui tem uma lista de 10 WebOS para você conhecer:

  1. EyeOS
  2. Glide
  3. XinDESK
  4. YouOS
Fonte dessa lista: The Dark Is Outside
.

Não realizamos upload dos ficheiros, apenas reportamos os links que encontramos na própria Internet. Assim, toda e qualquer responsabilidade não caberá ao administrador deste blog. Este blog não tem como objetivo reproduzir as obras, apenas divulgar o que foi encontrado na Internet. Os filmes aqui informado são de cunho científico assim como as series as quais são produzidas para exibição em TV aberta. Uma vez que a serie não tenha sido ripada de um DVD ou seja a mesma foi gravada do sinal de TV aberta com o respectivo selo da emissora não é caracterizado crime pois a mesma foi produzida para exibição pública. Sera crime quando for realizado venda deste produto. Quem efetuar download de qualquer ficheiro deste blog que não tenha seu conteúdo de base Open Source (Código Aberto) ou FOSS (Free Open Source Software) deverá estar ciente que terá 24 horas para eliminar os ficheiros que baixou. Assista-o e procure Revendas Autorizadas. Se algo contido no blog lhe causa dano ou prejuízo, entre em contacto, que iremos retirar o ficheiro ou post o mais rápido possível. Se encontrou algum post que considere de sua autoria favor enviar e-mail para suporte@delphini.com.br informando o post e comprovando sua veracidade.

Muito obrigado a todos que fizeram deste blog um sucesso.

Creative CommonsEsta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Citando nome do autor, data, local e link de onde tirou o texto). Você não pode fazer uso comercial desta obra.Você não pode criar obras derivadas.